Informação Técnica - Artigos

Coordenação técnica da ABCP para a gestão da Alvenaria Estrutural em empreendimento no Rio de Janeiro (13/09/2010)
ABCP - Alvenaria Estrutural com Blocos de Concreto

Apoiar a implantação e a gestão do desempenho da alvenaria estrutural nas construtoras, visando maximizar os resultados de produtividade e qualidade do processo construtivo. Este é o objetivo da coordenação técnica que a ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland – está dando para as principais construtoras do Rio de Janeiro que vem adotando este sistema. Entre elas figura a Sinco Engenharia, que vem sendo assessorada desde o início deste ano.

Os condomínios Arena Park, na Zona Norte, e Monet, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, de incorporação da Klabin Segall, foram os empreendimentos imobiliários escolhidos para esta ação. No Arena Park, onde a assessoria está mais intensificada, estão sendo construídas 8 torres, com 12 a 15 pavimentos cada, totalizando cerca de 990 apartamentos. Os 157 mil m2 de área total construída formam o maior canteiro de obras usando a tecnologia da alvenaria estrutural no Rio de Janeiro.

O modelo adotado para este trabalho foi criar uma articulação entre as áreas de coordenação de projetos, planejamento, suprimentos e produção, visando uma gestão industrial e o aumento de produtividade no sistema construtivo.

Treinamento de Alvenaria Estrutural
O cronograma desta coordenação teve início em fevereiro deste ano, quando o Eng. Guilherme Andrade, Representante da ABCP RJ, deu um treinamento de alvenaria estrutural de 4 horas para a equipe de engenharia, técnicos, mestres de obras e encarregados. O objetivo deste treinamento foi capacitar a equipe de administração em todos os tópicos do sistema construtivo, desde o planejamento, projetos e especificação de materiais e equipamentos até a metodologia da execução da obra.

O treinamento ainda envolveu os requisitos de controle e tolerância do produto aplicado e o controle tecnológico dos componentes da alvenaria (blocos de concreto, argamassa e graute).

Diagnóstico dos pontos de melhorias para projetos de produção compatibilizados
Através de um diagnóstico realizado em conjunto com a ABCP, a Sinco Engenharia identificou a necessidade de investir na melhoria dos projetos de produção e compatibilização da alvenaria estrutural. O detalhamento destes projetos e a compatibilização efetiva com o processo de construção, é primordial para que a equipe tenha uma boa produtividade na execução. Com essa preocupação, a ABCP apresentou o escritório Virginia Lanes Arquitetura, que começou a acompanhar e participar do desenvolvimento dos projetos de produção do empreendimento.

Na semana seguinte, o Diretor de Operações Cléber L. Marques e o Gerente de Contratos João Paulo Figueiredo, da Sinco Engenharia, fizeram um intercâmbio técnico às obras do edifício mais alto construído com alvenaria estrutural no Rio de Janeiro, com 17 pavimentos, localizado em Nova Iguaçú. Lá, os profissionais puderam acompanhar o método construtivo do sistema e trocar informações com engenheiros da GRC Engenharia (Gestão e Racionalização Construtiva), empresa especializada no gerenciamento e montagem desta tecnologia.

Organização do processo de implantacão da Alvenaria Estrutural
Visando um acompanhamento completo e constante das obras da Sinco Engenharia, a ABCP vem desenvolvendo o trabalho baseado em indicadores qualitativos do processo de implantação de todo o sistema, objetivando soluções efetivas para o projeto e a organização da produção.

Para isso, houve uma preocupação em coordenar o trabalho desde a visão macro do empreendimento, como o planejamento, layout do canteiro da obra e o cronograma de entrega de materiais, até a organização da execução da obra, como a equalização entre as equipes de alvenaria estrutural, laje pré-moldada, armação, tubulação e concreto e o controle da qualidade da parede construída.

Ainda, houve uma orientação sobre a formatação de kits de componentes e acessórios específicos de acordo com os quantitativos previstos no projeto, visando facilitar a execução da alvenaria estrutural e otimizar a grua, agilizando o cronograma da obra como um todo.

“A idéia é que, de acordo com a programação de servico em cada turno, todos os componentes necessários para a montagem das paredes estejam à mão da equipe, evitando as paralisações tão comuns em obras ou o excesso de materiais na laje, que dificultam o trânsito dos operários”, explica o Eng. Guilherme Andrade, Representante da ABCP-RJ. “Esta subida de materiais para a laje não pode ser aleatória! O controle deve
estar na mão do engenheiro da obra, baseado nos quantitativos do projeto. Isso é uma boa administração dos projetos de produção, em relação às tarefas de obra, item que sozinho chega a representar um acréscimo de 30%* de produtividade quando bem administrado”, continua. (* Fonte: Pesquisa realizada pela McKinsey para a ABCP.)

Definição e controle dos indicadores de produtividade
Sempre com o intuito de apoiar a implantação e a gestão do desempenho do sistema construtivo, a ABCP trabalha com metas controladas através dos indicadores quantitativos e qualitativo da equipe de execução. “O objetivo é linkarmos os indicadores com as ocorrências do diário da obra, para monitorarmos as eventuais quedas de produtividade e implantarmos planos de ações corretivas e preventivas, mantendo desta forma a produtividade sempre no patamar da meta definida”, explica o Eng. Guilherme Andrade.

Segundo os primeiros indicadores coletados, a média de alvenaria estrutural construída por homem é de 16m2 por dia. “Apesar de já termos registrado picos de mais de 23m2 em um dia, nossa meta é chegar a uma média diária desse mesmo número no consolidado total da obra”, almeja João Paulo, Coordenador da Sinco Engenharia.